Minha birra com o Facebook

Namorados2

As parcas almas que leem minhas linhas sabem que eu não morro de amores pela rede de Mark Zuckerberg.  Zuckerberg é o menor dos meus problemas na rede social, acho mesmo que ele é um gênio, fez uma rede para ficar zilionário e conseguiu ficar zilionário.  O que as pessoas fazem na rede social é que me irrita.

O Facebook na minha opinião pode mudar de nome para Fakebook.  Veja, naquela rede ou as pessoas estão muito felizes ou muito tristes.  Nunca há um meio termo, que é o que corresponde a 99% da população mundial.  Essa rede é um local em que se você der mole, você coloca toda a sua vida ali, exposta, para todos verem.

Não sou desse time.  Não gosto de colocar muita coisa da minha vida lá.  E não gosto muito do que a rede faz para expor você.  No tempo do Facebook de raiz, tudo o que seus amigos postavam, seja o que fosse, ia aparecendo na sua timeline e você ia vendo fotos de cachorros, de bebês, lamentos, declarações de amor…  Umas coisas mais relevantes para você, outras menos.  Mas havia um critério.  O tempo e você ser amigo da pessoa. Ponto.

Depois mudaram para o algoritmo maluco que temos hoje.  Agora tudo o que seus amigos postam você não vê.  Na verdade você só vê o que os amigos que você interage mais na rede postam.  O que outros amigos mais distantes na rede postam você simplesmente não vê.  Esse blog por exemplo, eu sempre compartilho os posts no face.  A maioria dos meus amigos não vê o post na sua TL, o resto nem clica.  Pior:  Este blog tem uma Fã-Page (Curta.  Por favor, um likezinho não mata ninguém).  Ela tem hoje 72 curtidas.  Isso significa que 72 pessoas querem, ou ao menos queriam, saber das atividades desse blog.  Elas não sabem.  Nem todas.

A razão pelo Facebook fazer isso é dinheiro.  Se eu quiser que meu post chegue a mais gente eu tenho que pagar.  Agora mesmo Zuckerberg me ofereceu um anúncio por 17 Reais para ampliar meu alcance.  Quanto mais grana eu der para eles, maior meu alcance.  O Facebook colocou em seu algoritmo esse recurso de não dar alcance a esse tipo de postagem, mas há dois tipos de postagem que o algoritmo mostra para todo mundo.  A primeira é essa, pagando.  Money talks, bitches.

A segunda e a que me irrita mais é que o Facebook prefere posts pessoais a outras coisas.  Se você posta dando sua opinião sobre Donald Trump retroceder nas relações EUA x Cuba, seja a favor disso ou contra, ou ainda o cara que questiona ou apoia a decisão de Crivella de não subsidiar o carnaval do Rio de Janeiro, o seu alcance no Facebook se resumirá a aqueles seus amigos que você sempre interage na rede.  Isso vale também para aqueles serviços ou coisas que você quer vender usando a rede.

Mas vá você e faça algo mais pessoal como mudar o status de relacionamento.  Isso será destaque até na Timeline de Sig Hansen há 230 milhas de Dutch Harbor.  Não sei porque um fato de sua vida pessoal tem que ter mais importância para uma rede social do que suas opiniões ou sobre o trabalho que está fazendo.

Não é o Facebook.  Ele dá às pessoas aquilo que elas querem.  As telas de nossos computadores, tablets e celulares são as novas janelas onde as vizinhas fofoqueiras se debruçavam o dia todo vendo a vida passar na rua apenas para contar para outras pessoas o que umas pessoas estavam fazendo.  A minha vizinha fofoqueira não dava a mínima quando eu passava na rua falando de eletrônica com o William, mas logo ia contar para alguém se me visse passando na rua de mãos dadas com uma menina.  Na rede nos comportamos exatamente assim.

Pegue uma postagem no Facebook relativa a este blog.  Em média tenho zero comentários, zero ruído.  Mas se eu postar uma alteração de status de relacionamento chovem comentários e reações.  Não gosto disso.  Minha vida pessoal não existe para likes, compartilhamentos e “lindoooos”.

Por isso não gosto de fazer esse tipo de postagem.  Me incomoda pessoas se metendo na minha vida desse jeito.  Mas beleza, cada um é cada um, o seu perfil é seu e você posta, curte, comenta o que quiser.

Justamente pelo fato de eu não postar muita coisa sobre minha vida pessoal, se você não juntou as peças ou não está tão próximo de mim, eu tenho uma namorada, ela está no Facebook e no Twitter e interagimos bastante por lá.

Não se trata de manter uma relação escondida, se trata do fato de eu ser tímido até em redes sociais.  Estamos juntos há um bom tempo e muito pouco falei dela nas redes.  Isso é uma falha minha, sou meio burro de não compartilhar as coisas boas que acontecem comigo.  Na verdade eu sou um completo idiota com relacionamentos.  Mas sempre há momentos para mudarmos nossas atitudes.

Portanto, se você não a conhece, basta ver o nosso Facebook.  Não vou fazer perfil de casal nem isso (Fonte Não Salvo):

Namorados

Mas como ela é uma pessoa que me faz me sentir muito bem, acho que ela pode fazer o mesmo por vocês também, meus parcos leitores.  Você pode conhece-la aqui ou ainda vendo as fotos do post do Face.  Aproveite, mas tire seu cavalinho da chuva.

IMG_1116

 

 

 

 

Anúncios

Sobre Fernando Vieira

Engenheiro Mecânico. Trabalha no Rio mas mora em Petrópolis. Fez esse blog, pra comentar sobre tudo um pouco mesmo sem entender de nada.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s