Estrogonofe

Sendo esse blog a coisa mais eclética do mundo e considerando que esse glorioso prato me acompanhou pelo fim de semana e começo desta (tive estrogonofe de frango no almoço de domingo, estrogonofe de filé no almoço de segunda e o que sobrou do de frango na janta de segunda) e ainda uma produtiva discussão sobre o mesmo, resolvi dedicar um post a esta iguaria secular:

“Você quis dizer Estraga os bofes” – Google, sobre estrogonofe

“Não perca no Estrelas, a receita de estrogonofe japonês de Daniele Suzuki” – Globo, sobre estrogonofe

“Você não pode perder a receita maravilhosa de estrogonofe saudita no mais você” – Ana Maria Braga, sobre estrogonofe

“Pô brou, essa parada leva cogumelo… Deve ser o bicho…” – Hippie, sobre estrogonofe

“Ainda prefiro o chá…” – Hippie, vendo os cogumelos dentro da panela.

“Na União Soviética o estrogonofe prepara você” – Reversal Russa sobre estrogonofe

“Você prepara o estrogonofe na União Soviética” – Reversal da Reversal Russa sobre estrogonofe

“Vocês cozinharam a minha casa!” – Gnomo sem teto, sobre estrogonofe

“Você quis dizer строганов” – Googlov, sobre estrogonofe

“Estrogonofe é uma invenção RRRRRRussa” – Pavel Chekov, sobre estrogonofe

“Bota esse rango na mesa que eu tenho que matar 30 alemães hoje ainda” – Vassili Zaitsev, sobre estrogonofe

Como nosso amigo Chekov ali em cima antecipou, o estrogonofe é uma invenção russa, do século XIX.  Como tudo que presta nesse mundo tem sua origem nos campos de batalha.  É sabido que os russos adoram uma guerra, e no século XIX guerra era o que não faltava.  O Czar mandava os russos lutarem em uma penca de guerras.

O problema é que você sendo soldado ainda precisa comer, estando na rússia passará frio, estando em um campo de batalha não dá tempo para fazer comida, portanto uma refeição rápida e quente é sempre bem vinda.  Daí os cozinheiros do glorioso Exército vermelho (que ainda não era comunista) bolaram uma receita rudimentar quase uma sopa com cubos de carne bovina.  Rápida, quente, nutritiva.  Os soldados adoraram.

Mas como toda comida de quartel, hospital e avião o gosto para nossos frescos apurados paladares, esse prato era uma porcaria.  Daí a Anya Mariov Bragov (também conhecida como Elena Molokhovets) criou a receita base para o estrogonofe (que em russo se chama строганов, stroganov).  Essa receita era composta de cubos de carne empanada em um molho de mostarda e caldo de legumes.

Curioso é que nossa amiga Elena publicou essa receita em um livro também de sua autoria chamado “Um presente para jovens donas de casa” (em russo Подарок молодым хозяйкам – estou adorando escrever em russo). O nome do livro já sugere ser o sonho de consumo de todas as belas jovens russas do século XIX, tempo em que mulher prestava.

 Mas embora não houvesse internet, a pirataria já corria solta pelo mundo, e a receita da dona Elena não tardou a ser roubada (ou “kibada” no dicionário da internet moderna) e adaptada de tudo quanto é jeito.  Em 1912 a receita ganhou cebolas, extrato de tomate e o  acompamento da batata palha, se aproximando bastante do que temos hoje.

Quando o regime Czarista caiu, os russos que não eram simpáticos aos comunistas tiveram que sair correndo ou seriam mortos expurgados.  Muitos cozinheiros estavam nessa porque cozinhar era coisa de capitalista pequeno burguês.  Isso acabou por levar a receita pelo mundo todo.

A maior parte deles foi para a China que é logo ali do lado e os chineses adoraram.  Isso antes da segunda guerra mundial.  Assim, americanos e ingleses que estavam por lá acabaram por gostar e levar a receita para seus países.

O fato é que Stalin poderia ter conquistado o mundo através dessa receita.  O mundo adorou os cubos de carne em molho de tomate (os americanos passaram a usar ketchup, os franceses botaram os champignons.  No Brasil colocou-se creme de leite e frango, porque somos pobres e não podemos comprar filé.  Se Stalin tivesse acrescentado um ingrediente hipnótico secreto, ele teria dominado o mundo.

O Estrogonofe nasceu como comida de guerra, virou receita para donas de casa, ficou chique no úrtimo graças aos franceses e depois, por culpa dos brasileiros, virou povão de novo.  Era o prato preferido da Czarina Catarina, a grande.

Aqui no Brasil como tudo acaba em festa tem estrogonofe com conhaque (os russos desafiaram a tentar fazer com Vodka) e também com chá de cogumelo para os doidões.  Ou seja, quando você ver um muleque comendo muito estrogonofe, na verdade ele quer ver se consegue uma onda pelo chá de cogumelos embutido no estronofe.

* Agora que você leu isso tudo, tenha em mente que esse artigo é baseado em fatos reais, mas não tem muito compromisso com a verdade.  Ele só quis te encher o saco ser engraçado. Portanto, não copie e cole como trabalho escolar ou será aprovado automaticamente levará zero.

Receita tradicional de estrogonofe (não a russa, a brasileira mesmo porque aqui nós somos patriotas):

Ingredientes

  • 1 kg de filé mignon em tiras
  • 1 unidade(s) de cebola picada(s)
  • 4 colher(es) (sopa) de manteiga
  • 200 gr de champignon fresco
  • 3 colher(es) (sopa) de catchup
  • 1 colher(es) (sopa) de mostarda
  • 3 colher(es) (sopa) de molho inglês
  • 1 xícara(s) (café) de conhaque
  • 1 lata(s) de creme de leite
  • 1 colher(es) (sopa) de farinha de trigo
  • quanto baste de sal
  • 100 ml de leite

Modo de preparo:

Frite a carne em 1 colher de manteiga, aos poucos e reserve. Em um recipiente, adicione ao creme de leite, o catchup, a mostarda, sal e a farinha de trigo dissolvida no leite e reserve. Em uma panela grande, refogue a cebola picada no restante da manteiga e assim que dourar adicione a carne e o champignon, sempre refogando sem pressa. Adicione o molho inglês e o conhaque aquecido (flambe). Acerte o sal e por último, acrescente a mistura cremosa. Quando levantar fervura retire do fogo e sirva acompanhado de batata palha, arroz branco e salada em folhas.

Anúncios

Sobre Fernando Vieira

Engenheiro Mecânico. Trabalha no Rio mas mora em Petrópolis. Fez esse blog, pra comentar sobre tudo um pouco mesmo sem entender de nada.
Esse post foi publicado em Posts técnicos e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Estrogonofe

  1. Pingback: O Pato no Tucupi | Blog do Fernando

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s