Pensamento Limitado

Recentemente o deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) causou uma baita polêmica ao dar entrevista no CQC falando sobre gays, cotas, Preta Gil, etc.  O conteúdo da fala do deputado foi o menor dos males.  As conseqüências das suas palavras trouxeram a tona um mal bem maior do que um deputado falando um monte de abobrinhas.

Antes de mais nada, eu não compartilho com as idéias do deputado.  Mas abrir um post aqui para criticar as palavras dele estarei caindo no lugar-comum.  Todo mundo já fez isso.  Mas uma coisa boa teve na fala do deputado:  Seu conteúdo é desprezível, mas serviu para mostrar como nossa sociedade é ridícula.

Um deputado falar um monte de abobrinhas leva a uma onda de protestos ao longo do país, passeatas, pedido de cassação, repulsa, inúmeros artigos contra, uma devassa na vida do deputado em busca de qualquer coisa para criticá-lo…  O simples fato dele ter sido militar já é usado para críticas.

Todo mundo tem o direito de criticar o deputado, uma vez que o que ele falou merece um monte de críticas mesmo, mas por que só ele?  Por que ninguém faz o mesmo tom de críticas ao Tiririca que nomeou humoristas da Praça é Nossa como assessores?  Ou por que não há a mesma mobilização diante da humilhação que a suprema corte brasileira inflingiu ao povo ao revogar a lei da ficha limpa?  Ou quantos deputados estão roubando, corrompendo, viajando para paraísos as nossas custas, pagando gasolina para amigos com nosso dinheiro, gastando uma verba absurda para manter luxos, aumentando seus salários…

Jader Barbalho vai voltar ao senado, graças a sapiência dos ministros do supremo.  O salário dos deputados aumentou em 20%.  A verba de gabinete é de uns 50 mil reais por mês.  Os deputados só trabalham de terça a quinta, e olhe lá.  Perto disso, a entrevista de um deputado em um programa humorístico é nada.

Mas Bolsonaro foi preconceituoso.  Foi mesmo.  Quando ele viu que a pergunta partia de Preta Gil, vinda da classe artística, que sua visão estreita identifica como promíscua e imprestável, a resposta estava na ponta da língua.  Da mesma forma as pessoas que partiram em críticas desmedidas tem a mesma visão estreita só que do outro lado.  O politicamente correto.

Ah, o politicamente correto.  Essa coisa ainda vai destruir o país.  Cada vez mais essa porcaria tira-nos a liberdade.  Vi Star Wars a primeira vez pra valer no começo da década de 90.  Darth Vader sempre pertenceu ao Lado Negro da Força (dark, sempre foi traduzido como negro).  Aí, recentemente acharam que aliar a palavra negro a maldade é racismo.  Tavez o bruxinho Harry Potter tenha sofrido o mesmo problema, e Lord Voldemort ser um bruxo das trevas ao invés de um bruxo negro.

O governo Lula editou uma cartilha com o vocabulário do politicamente correto.  Se eu não tivesse fontes confiáveis de que realmente foi o governo que a editou eu acharia que era mais uma piada mas não era.  Segundo a cartilha chamar homossexual de gay era ofensivo.  Deveria chamá-lo de “entendido”.  Chamar negro de negro o mesmo.  O correto é afrodescendente.

Esse politicamente correto mata a própria democracia pois fere o direito de expressão.  Eu não acho que deva haver leis contra ofensas a negros, homossexuais, deficientes físicos, etc.  O que as pessoas sérias dessas classes querem nada mais é do que serem tratados como iguais.  Fazer estatuto da igualdade racial, lei contra a homofobia, cotas para tudo não é dar tratamento igual.  É justamente violar a constituição no que diz que todos são iguais perante a lei.

Estou eu defendendo o racismo, a homofobia, o preconceito?  Claro que não.  Se uma pessoa se sente ofendida, ela pode processar a agressora por calúnia e difamação.  Seja ela branca, negra, hétero, bi, gay (ou entendido).  Se for agressão física, o crime aumenta.  Quer dizer, as pessoas devem ser tratadas iguais.  Ou chamar alguém de “negão” é ofensa mas chamar de “branco azedo” não é?

Então, o que o deputado Bolsonaro disse foi uma grande burrice e fruto de um pensamento limitado e preconceituoso.  Mas igualmente limitado e preconceituoso é o pensamento de quem vive a apregoar essas bobagens de politicamente correto.  Afinal todos são seres humanos que é o que importa.  Todo mundo deve ser tratado com igual respeito, independente de cor, opção sexual, etc.

Anúncios

Sobre Fernando Vieira

Engenheiro Mecânico. Trabalha no Rio mas mora em Petrópolis. Fez esse blog, pra comentar sobre tudo um pouco mesmo sem entender de nada.
Esse post foi publicado em Reflexões e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Pensamento Limitado

  1. Amanda disse:

    Ou chamar alguém de “negão” é ofensa mas chamar de “branco azedo” não é? NISSO EU CONCORDO. UM ABSURDO. SE SOU AGREDIDA A PENA É “X” PRO AGRESSOR. SE UM GAY É AGREDIDO A PENA É LIM X, X->+00… A VIDA DELE VALE MAIS QUE A MINHA, POR ACASO???????

  2. Pingback: Sobre ateus, fanáticos e outras bobeiras | Blog do Fernando

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s