Aloprando na Igreja

Uma das idéias desse Blog era contar um pouco das aventuras que marcaram minha vida.  Pois bem, até o presente momento não contei muita coisa nesse blog ainda.  O Blog tá abarrotado de posts, mas sem muitos causos antigos.  Vou contar um aqui me lembrei hoje durante a missa.  O Wilian vai gostar desse, até porque ele estava junto:

Nos idos de 1994 estávamos entrando no grupo de jovens da Igreja.  Era junho, portanto uma festa junina aconteceria e o grupo estava organizando uma quadrilha.  Enquanto eles ensaiavam, eu e o Wilian saímos do salão onde acontecia o ensaio.  Fomos para outro lugar.

Este salão fica no ponto mais alto da igreja.  Na ocasião este salão tinha um piso de tábua corrida.  Um piso antigo.  Na parte de baixo havia um corredor, uma casa e uma salinha.  Este corredor tinha um alçapão que dava para o piso deste salão.  O ensaio lá em cima, mais parecia sapateado do que quadrilha. Ouvindo barulhos cadenciados, pegamos vassouras e começamos a bater junto com o cabo delas neste alçapão.

Em algum momento, algumas gotas de água começam a cair, razão pela qual resolvemos sair dali.  Fomos para a praça que tem em frente a igreja.  Dez minutos depois surge o pai do Wilian carregando uma caixa de ferramentas e indo correndo para dentro da igreja.  O Wilian perguntou ao pai dele o que tava acontecendo e ele disse que uma tubulação havia estourado lá.

Entrando na igreja, na nave principal, que fica abaixo desse corredor (o corredor se comunica com a nave da igreja em uma janela, acima do presbitério, onde está a imagem de S. Cristóvão) esta janela se transformara em uma cachoeira.

Resumindo:  Nossa brincadeirinha de bater com vassoura em chão velho arrebentou uma tubulação tão velha quanto, que provocou esse vazamento.  A tubulação simplesmente se rompeu e o caminho para o escoamento da água era para a igreja.  O pior é que dentro de meia hora haveria missa.

Com a correria do pai do Wilian e mais alguns além de uma correria para secar a igreja acabou por não prejudicar a missa.  Mas, até hoje pouca gente sabe que aquela enchente havia sido causada pela gente.  Até hoje.

Anúncios

Sobre Fernando Vieira

Engenheiro Mecânico. Trabalha no Rio mas mora em Petrópolis. Fez esse blog, pra comentar sobre tudo um pouco mesmo sem entender de nada.
Esse post foi publicado em Causos e marcado , , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Aloprando na Igreja

  1. Em primeiro lugar o meu nome é Wiliam com M no final ehhe agente se conhece há tanto tempo e você ainda não guardou amigo hehehehe

    O lance do tubo foi um acaso. O problema é que não era Tigre. Eu acho que vale a pena fazer uma revisão nessa tubulação porque já faz muito tempo que isso aconteceu e até hoje eu acho que a emenda ainda é aquela mesmo heheheh

    Passa a carregar uma mala de ferramentas de hidráulica na sua Punto.

    Um forte abraço amigo!! Valeu por lembrar e documentar essas paradas..

    • Po cara eu tento. Juro que comecei a escrever Wiliam. Aí depois mudei para William. Mas me liguei que teu nome não tem dois L´s. Aí voltei ao Wiliam, mas achei que era N e não M.

      Quanto a tubulação da igreja, não se preocupe, uns dois anos depois do nosso “acidente” o salão passou por uma reforma e essa tubulação foi trocada. Mas acho que não é Tigre não. Então, melhor ficar longe do alçapão…

  2. Pingback: Detonação | Blog do Fernando

  3. Pingback: O dia da Crisma | Blog do Fernando

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s