Perseguição ao Red 5

Uma interrompida no relato de viagem para contar uma rapidinha engraçada de hoje (05/07/2010):

Perdi a hora no trabalho hoje.  Por conta disso perdi também as vagas no estacionamento do prédio.  Resultado:  Tive que parar num campo na quadra ao lado.  O Red 5 passou o dia por lá.  Após seu fim de semana de folga ele voltou a sua rotina diária.

Na hora de ir embora, vou até lá para pegá-lo e notei que havia uns cinco cachorros dormindo no campo.  O Red 5 estava sozinho lá junto aos caninos enrolados.  Eles nem ligaram para a minha presença e, pude entrar no Red 5 sem qualquer problema. 

No entanto, ao ligar o motor, os problemas começaram:  Todos eles se levantaram e começaram a latir, agressivamente contra o Red 5, bloqueando a passagem como se não quisessem que ele saísse de lá.  Fui avançando lentamente para não machucar os cachorros, mas toda aquela matilha ia contra ele, tentando inclusive morder os pneus.

Eu sinceramente não acreditava no que estava vendo.  nunca tinha visto cachorros tão dispostos a pegar um carro.  continuei devagar, com a matilha sempre ao meu lado e na frente, de modo que, sempre que eu tentava acelerar um deles ficava na minha frente.

Não sou uma pessoa má com cachorros, por isso a idéia de passar por cima deles não me veio a cabeça em momento algum.  Imaginei que, ao sair do território deles, eles me deixariam quieto, ou ao sair do parque, conseguiria acelerar e deixá-los para trás.  Mas nada parecia funcionar.

Ainda dentro do parque, resolvi descer e enxotá-los.  Deu certo, mas eles foram mais para a frente e, assim que passei por eles, novamente me fecharam e eu tive que frear para não atropelar um.  Mas nessa já vinham dois outros carros atrás e estes não tiveram a mesma paciência.

Um deles foi até extremamente estúpido:  Uma Pajero preta (Quando tiver a placa atualizo o post) me ultrapassou, e em velocidade ainda tentou atropelar o cachorro que estava próximo a ciclovia jogando o carro intencionalmente contra ele.  O cachorro se desviou e nada aconteceu.  Mas cheguei a conclusão de que a vida de cada um daqueles cachorros valia muito mais a pena do que a do motorista da Pajero e minha idéia foi reforçada de não atropelá-los.

Vejam bem, um cachorro corre atrás de um carro por algum instinto, ou ele pensa que o carro é uma ameaça, ou uma presa, ou sabe-se lá o que.  Já o ser que tenta atropelar o cachorro o faz conscientemente, ou seja, por pura crueldade.  Isso faz do cachorro um ser infinitamente superior ao motorista da Pajero.  Portanto, se tiver que escolher entre o cachorro e o cara da Pajero para salvar a vida, o cachorro ganha fácil.  E ganha por merecer.

Alguns metros para frente, esses cachorros não me largavam.  Desci novamente e enxotei-os com gritos e batendo os pés contra o chão.  Eles se assustaram e se afastaram, indo para o gramado atrás da reitoria.  Isso permitiu que eu seguisse sem que eles chegassem perto, não oferecendo perigo para mim ou para os cachorros.  E assim me livrei deles.

Bem, no final isso me rendeu muitas risadas pela situação inusitada e também um pouco de raiva do imbecil da Pajero.  Não acharia ruim de vê-lo esborrachado contra algum poste.  Mas, não é bom desejar o mal alheio.  Então, vou ficar só com as risadas de não entender tanta agressividade de uma matilha contra um inocente Fiat Punto.

Anúncios

Sobre Fernando Vieira

Engenheiro Mecânico. Trabalha no Rio mas mora em Petrópolis. Fez esse blog, pra comentar sobre tudo um pouco mesmo sem entender de nada.
Esse post foi publicado em Causos, Red 5 e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s