Virando a laje

[Quer aprender um pouco mais sobre lajes? Clique aqui]

80% das casas construídas no Brasil levam laje.  No caso das casas populares essa porcentagem deve subir para algo próximo de 100%.  Isso porque a laje é uma boa maneira de se impermeabilizar a casa, é barato e depois tem uma manutenção baixíssima.  Ainda traz a vantagem de permitir que você faça uma expansão de sua casa no futuro ou ao menos o famosíssimo churrasco na laje.

A laje é basicamente uma estrutura de concreto armado sustentada pelas laterais sobre pilares (as colunas da casa) e viga (a famosa “cinta”).  A laje não pode ser feita de concreto puro pois a natureza dele faria com que a laje se quebrasse toda.  Por isso o concreto precisa ter dentro dele uma armação de aço o que lhe confere características melhores de resistência a flexão formando um material compósito bem interessante e largamente utilizado no Brasil.

A técnica de laje são basicamente duas:  A laje “batida” e a laje pré-moldada.  Para se fazer uma laje batida, um madeiramento deve ser feito ao longo de toda a laje, as armações de aço com vergalhões são colocadas e a laje é enchida de concreto.  Essa forma de construção gasta muito material e mão de obra e não é muito utilizada na arquitetura popular.  Normalmente usa-se a pré-moldada, onde vigas de concreto armado e tijolos já são comprados prontos, Aí tudo o que deve ser feito é posicionar as peças e depois encher a parte de cima com concreto.

Essa etapa é a mais dramática da laje pois, independente do tamanho da laje, uma vez que se começou a concretagem da mesma ela não pode ser parada até que termine toda a laje.  Caso contrário a ocorrerá uma trinca ao longo da laje permitindo a infiltração e a laje ficará seriamente comprometida.

E é aí que entra a nossa história de hoje.  Antes de ser uma etapa da construção ou reforma, a concretagem da laje é um evento social.  Popularmente chamamos de “virar a laje”.  Por conta da sua limitação de ao começar ter que terminar, essa etapa demanda muita mão de obra e aí é a hora em que você apela para seus amigos.

E é aí que se forma a reunião.  Ao ser dono de uma obra dessas você chama todo mundo pois você não sabe quem vai realmente aparecer.  E você que é apenas um “convidado” acaba se tornando amigo de um monte de gente que, até então você não nunca tinha visto antes.

A capacidade de organização também é impressionante.  O pedreiro é quem comanda na laje onde o concreto deve ser despejado além de ir alinhando o concreto de forma que a superfície da laje fique o mais plano possível.  É ele também que determina como o concreto deve ser feito, se mais mole ou mais duro, ou seco.  E o resto da galera trabalha.

A laje normalmente está em local elevado e o material de construção não.  Isso implica ter que carregar o concreto ou o material para fazê-lo para cima de laje.  E é isso que mais demanda gente.

As pessoas se organizam rapidamente, chega a ser impressionante.  Rapidamente uma turma já pega enxadas e pás e começa a virar o concreto, uma parte leva o material para a área onde o concreto está sendo virado já preparando o próximo “traço” e tem a turma que carrega o concreto para a laje.

O traço é a medida padrão da laje.  Sua receita tem variações mas é basicamente 1 saco de cimento (50kg) 12 baldes de pedra britada e 14 baldes de areia.  Usa-se água para fazer a liga da massa, e a quantidade dela é que é determinada pelo pedreiro, puramente no sentimento, e no grito.  É pelo número de traços que se determina o tamanho da laje que foi virada.

Enquanto se trabalha, o clima tem que ser mantido alegre.  Daí, a brincadeira corre solta.  No caso da laje de sábado, a brincadeira era, como tinha que ser, o caso Bruno.  Perguntávamos ao dono da laje onde estava o corpo para ser concretado.  Fora essa, todas as outras brincadeiras de quando se junta um monte de homens.

Acaba sendo muito divertido.  Você trabalha bastante se cansa, mas também se diverte.  Conta casos, ouve outros, os casos de lajes são maioria.  E curiosamente, a laje que você está nunca é a pior.  Sempre, todo mundo que já participou de outras, já enfrentou lajes maiores e piores.  No meu caso é verdade.

No sábado, estávamos lá para virar a laje do Cleidemar.  Você tem que engolir um orgulho idiota e, sendo engenheiro, receber ordens de um pedreiro que deve ter ido até a quarta série. No entanto, o orgulho é idiota mesmo, pois ele entende muito mais de laje do que você.  E o Cleidemar no caso arrumou uma mão de obra altamente qualificada:  Muitos técnicos, engenheiros, etc…  O pessoal da Celma compareceu.

Acabei sendo eu a medir o traço.  Se o concreto daquela laje não ficar bom, podem jogar a culpa em mim.  Não era só eu que fazia isso, mas como participei…

Toda laje tem seus casos.  Nessa, um pedaço de madeira caiu da laje na casa do vizinho em uma queda de aproximadamente 10 metros.  Mataria alguém se acertasse.  Por sorte, só sujou as roupas da vizinha de concreto.  O Marquinho também exagerou na disposição e acho que ele queria me concretar.  Ele me deu alguns banhos de concreto.  Enfim…  Por conta dele, por pouco uma enxada não cai no mesmo caminho da madeira.  Mas não de propósito.

A virada de laje tem uma tradição:  Tem que terminar com feijoada.  Ao fim da laje, as mulheres também tem trabalho na laje:  Fazer a feijoada.  Aí, finda a laje, todo mundo vai comer feijoada e tomar cerveja.  O Cleidemar ainda colocou uma seleta (cachaça) para a galera espantar o frio.  A laje foi virada sob chuva fina e nevoeiro.

Já estive em lajes que não tinha a feijoada, mas tinha cachorro quente.  O que não podia faltar era a cerveja.  Também existem os viradores de laje profissionais, pessoas que surgem do nada e simplesmente começam a ajudar.  Hoje em dia tem surgido a “laje dos irmãos” que são lajes dos evangélicos normalmente, onde não entra a bebida alcoolica.  Essas não são muito apreciadas.

Mas cabe ao dono da laje determinar a dose de álcool e, mais ainda quando ela será servida.  O ideal é que isso só ocorra ao final da laje sob pena de o trabalho não render.  Parar no meio para descanso também não é uma boa idéia.  Mas um suprimento de água e café durante o trabalho é muito necessário.

Feito o trabalho, como a laje formará um terraço, ficamos todos esperando uma outra tradição:  O churrasco de inauguração da laje.

A vida de povão é muito boa.  Virar laje é privilégio das classes populares que moram em casas, os suburbanos do Rio por exemplo, ou o povo das favelas, ou a gente aqui dos morros de Petrópolis.  E assim, ajudamos nossos amigos e ganhamos um dia em boas companhias, de trabalho, exercício e diversão.

About these ads

Sobre Fernando Vieira

Engenheiro Mecânico. Trabalha no Rio mas mora em Petrópolis. Fez esse blog, pra comentar sobre tudo um pouco mesmo sem entender de nada.
Esse post foi publicado em Causos e marcado , , , , . Guardar link permanente.

35 respostas para Virando a laje

  1. Pingback: 2000 | Blog do Fernando

  2. Pingback: 3000 | Blog do Fernando

  3. Pingback: 4000 | Blog do Fernando

  4. CLEIDEMAR disse:

    MUITO LEGAL FERNANDO,
    LAJE É ISSO MESMO AGRADEÇO A GRANDE AJUDA,
    PODE DEIXAR QUE O CHURRASCO ESTÁ PRÓXIMO !

  5. Pingback: 5000 | Blog do Fernando

  6. Pingback: 8000 | Blog do Fernando

  7. thiago disse:

    (Hoje em dia tem surgido a “laje dos irmãos” que são lajes dos evangélicos normalmente, onde não entra a bebida alcoolica. Essas não são muito apreciadas.)

    rsrsrs ilário cara, rsrs kkkkk. Também estou prestes a encher a minha, porém se eu tivesse dois dedos nas mãos contaria tranquilamente as pessoas com quem eu poderia contar. A minha obra daria uma novela, tive problema com dois pedreiros c… e eram crentes, sem querer generalizar, mas nunca mais na minha vida eu passo perto de um crente rsrsr, conclusão, eu sempre fui desenrolado e acabaei começando fazer sozinho e tô indo, coloquei uns blocos de vidro e 4 pessoas disseram que tava melhor do que os que o pedreiro havia colocado. Então acabei meio que confirmando que eu nasci para isso, porém não so tenho até a 4ª série não rsrs, e pretendo fazer engenharia, porém sou muito ligado aos problemas sociais e direito também me interessa muito, então tô em cima do muro. Quando você disse que teve que engolir o orgulho achei muito engraçado, pois nenhum dos pedreiros que eu arrumei dava o braço a torcer, pois apesar de terem 15 e 20 anos de experiência, fazendo merda e sem qualificássem é claro, viam que eu manjava mais do que eles. Pois graças a deus sou da geração da internet. Abraço e parabéns pelo… sei lá, blog, página, postagem, ah você entendeu, valeuuuuu.

  8. Pingback: 12000 | Blog do Fernando

  9. Pingback: 15000 | Blog do Fernando

  10. Renan disse:

    Virar laje: coisa de macho.
    Metrossexual com problemas de fazer as unhas, perfumado, creminho no rosto, cabelinho com penteadinho com gel, etc estao FORA.
    E pare de moleza que o pedreiro quer massa.
    DESCE LOGO ESSES BALDES VAZIOS E MANDA MAIS MASSA!

  11. Deca disse:

    Oi Fernando.
    Minha casa pegou fogo foi interditada pela Defesa Civil, tive que fazer uma retirada de testemunhos por uma empresa especializada que deu como parecer técnico que precisa da demolição total da laje.
    O seguro se negou a pagar, fazendo exigências absurdas tipo:apresentação da planta estrutural específica da laje a época da construção. Minha casa é de um só pavimento, de laje BATIDA, não era cintada e nem tinha colunas.
    Com documentos que enviei o seguro pagou a metade da reforma, o restante somente no final da obra, agora a construtora queria fazer uma sustentação na laje não aceitamos, pois temos este parecer técnico, hoje para minha surpresa descobri que eles não estão fazendo a laje BATIDA como era, e sim estão colocando uma laje pré fabricada, acredito eu, pois colocaram vigas de cimento com ferro e encaixaram uns tijolos nessa vigas e abaixo delas umas madeiras seguradas com uns ferros e disseram que vão depois amarrar com vergalhões e ferros por cima e chamar um caminhão para colocar o cimento.
    Minhas dúvidas são muitas, tenho receio de que o seguro não pague a parte restante pois não está sendo executado o serviço como tinha que ser feito: laje batida? Qual a diferença de uma laje batida para a pré fabricada ? A empresa pode colocar esta laje pré fabricada se a anterior era batida? Como colocaram colunas e cintaram a casa e agora essa laje pré fabricada será que a Defesa civil implicará com isso para a deinterdição do imóvel? O valor do imóvel fica menor de acordo com essa “troca” de uma laje para outra? E quanto as documentações nas Prefeitura, RGI, essa troca de laje vai interferir em alguma coisa? Dará para construir outra casa em cima dessa laje pré fabricada?
    Agradeço se puder me ajudar.
    Abraços
    Denise.

    • Denise:

      Vamos por partes que você perguntou muita coisa.

      Sua casa era antiga? A construção por lajes antigas, sem pilares e vigas (cinta) é tipicamente antiga. Não se usa muito mais hoje em dia. Pra falar a verdade, não tenho visto mais construção por esse tipo de laje.

      A laje que você cita é sim pré-fabricada. As madeiras e ferros ficarão lá só até o fim da laje, quando o concreto curar e não for necessárias mais escoras.

      Enquanto uma laje batida não leva os tijolos, apenas concreto armado, a pré-fabricada os leva. Uma laje pré-moldada é mais leve, gasta menos concreto e se faz em menor tempo. Estruturalmente não há muitos problemas em trocar de uma batida para uma pré-moldada , uma vez que essa outra é mais leve.

      Sua casa está ganhando cinta e colunas, ou seja a estrutura está sendo reforçada, ou sendo feita como deveria ter sido. A defesa civil não deve encrencar com ela.

      Em termos de valorização de imóveis, não entendo nada disso, mas não acho que desvalorize. De repente, por ela ganhar uma estrutura melhor agora, pode até ocorrer valorização. Para o licenciamento do imóvel não posso te ajudar, pois desconheço essa área.

      para saber se pode ser construída outra casa em cima, é bem possível que sim, mas antes de fazer isso, procure um engenheiro para dar sua opinião após visitar o imóvel. Não confie na palavra de pedreiros (eles sempre dirão que dá), mas é melhor ter uma opinião mais embasada. Sem conhecer seu imóvel e ver o que estão fazendo, não posso dizer.

      Espero ter ajudado.

      • Deca disse:

        Fernando você foi na mosca! Você é fera! Minha casa foi construída a mando de D. João VI, o Imperador entre 1808 e 1821. Minha casa está sendo reformada por uma empresa de arquitetura e engenharia, onde tem um arquiteto que assina tudo e tem todos os papéis do CREA RJ, e quando precisa de algum engenheiro especializado ele contrata, como fez com a empresa que fez a pesquisa e investigação da laje, ele me garantiu que o que está sendo feito lá posso construir em cima sem problemas.
        Você tirou minhas dúvidas, desculpe-me fazer perguntas que não são de sua área, mas valeu muito a sua resposta.
        Agradeço.
        Obrigada.
        Denise

      • Denise,

        Me chamou ateno que sua casa foi construda a mando de D. Joo VI. Trata-se portanto de uma construo histrica. No seria o caso de se consultar o IPHAN ou algum outro rgo de preservao de patrimnio histrico?

        Normalmente estas construes seguem outros padres, de forma a manter seu conjunto arquitetnico. Manter as caractersticas originais do imvel, ao menos na aparncia, ajuda bastante no valor do mesmo.

  12. Deca disse:

    Por favor me reponda o mais rápido que puder pois eles estão terminado de fazer as amarrações para colocar a massa em cima.
    Obrigada,
    Denise

  13. Deca disse:

    OK vou seguir seu conselho, inclusive vou ver agora o que é IPHAN, não faço a menor idéia, mas acredito que não tenha nenhum problema pois manteremos independentemente de qualquer coisa as mesmas características do imóvel,fachada, interior, inclusive portas e janelas.
    Obrigada pela sua orientação.
    Abraços
    Denise.

    • O IPHAN é o instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. É função deste órgão zelar pela proteção da memória e da história do Brasil, inclusive da arquitetura. Normalmente casas do século XIX e outros prédios de importância histórica (Brasília por exemplo é tombada, a fachada do maracanã também). O caso do sua casa certamente tem interesse histórico, por ter sido construída por ordem de D. João VI

      Seria até interessante procurar o órgão e um historiador pois sua casa deve ter um valor histórico importante, talvez você tenha descobertas surpreendentes sobre a mesma. Seria interessante. Me mantenha informado inclusive

      • Deca disse:

        Ok vi ontem no Google o que é IPHAN e aprendi muita coisa que desconhecia, muito bacana mesmo,vou ver isso e te mando notícias, mas essa semana estou meio que enrolada, meu pai está hospitalizado e minha mãe está aqui comigo, estou numa correria sóasósó,sómasvtenalgumacoiassim que resolver te retorno. Valeu
        IPHAN

      • Deca disse:

        Ok te mantenho informado. Ontem entrei no site do IPHAN achei muito legal, aprendi coisas que desconhecia por completo.
        A propósito como se encontra um historiador?
        Essa semana estou enrolada, meu pai está hospitalizado grave no CTI minha mãe está comigo aqui, não pode sair sózinha operou 2 aneurismas cerebrais, as carótida e a sub-clávia e o sangue do coração para o cérebro, pois teve um AVC e não posso deixar ela sair só e tenho que acompanhá-la em todos os lugares mais assim que der vou ver isso e acho interessante saber da história da minha casa. Sei que D. João fez essa avenida de casas em função de um casamento na família e que viriam parentes de Portugal para cá e ele mandou construir essas casas para servirem de estadas para essas famílias e ele depois do casamento deu essa moça, a avenida de presente a ela e com o passar do tempo ela foi vendendo os imóveis.

        Se não puder te responder é porque tem dias que não poderei nem ligar o pc pois saio cedo e volto tarde, mas manterei vc informado.
        Valeu
        Abraços
        Denise

      • Bem, se você for do Rio posso te indicar um, muito amigo meu que inclusive trabalha no IPHAN. Mas se eu não o conhecesse, não saberia também, exceto de ir a uma escola e procurar pelo professor de história.

        Mas a família vem sempre em primeiro lugar. Cuide dos seus pais, e eu desejo de coração uma pronta e boa recuperação de seu pai e muita saúde a todos.

  14. Olá Fernando, boa tarde.Gostaria q vc tirasse uma dúvida minha, estou construindo minha casa e tnho uma grande dúvida,Qual laje colocar?
    Gostaria de saber qual a diferença, vantagens e desvantagens da laje batida e a pré-moldada, qual é a mais indicada e segura?
    Desde já agradeço e aguardo sua resposta.

    • Luanna;

      A maior parte das pessoas hoje está usando a laje pré-moldada. As vantagens dela são: Menor peso, possibilitando uma estrutura menos robusta, menos gasto de material, mais rapidez na construção…

      Para uma casa, eu não vejo qualquer desvantagem significativa na laje pré-moldada frente a uma batida, que lhe trará um gasto muito maior de concreto e mão de obra (lembre-se, você terá que encher uma laje de uns 20cm toda só com concreto e ferro, tudo de uma vez só).

      As lajes batidas são mais utilizadas em grandes prédios, onde os construtores podem usar aquelas empresas como concrejato ou polimix que levam o concreto em caminhões betoneira e uma bomba especial leva o concreto para o andar que está sendo enchida a laje. Mas mesmo nesses esse tipo de laje tem perdido espaço para estruturas pré-fabricadas, onde o prédio é todo construído fora por meio de peças de concreto e montado no lugar como se fosse um lego gigante.

      Para um caso residencial, a laje pré-moldada é a melhor opção, por custo, tempo e mesmo a segurança (uma laje batida mal dimensionada na sua ferragem pode cair sobre os moradores). Se você quiser economizar mesmo no peso da estrutura pode até utilizar os tijolos de isopor. Aí dependerá do seu uso, tamanho e possibilidade de expansão do imóvel.

      Espero ter ajudado, qualquer outra coisa, estamos aí.

      • Deca disse:

        Oi Fernando, boa noite.
        Ainda estou enrolada com meu pai no hospital, agora mais ainda pois ele foi para o quarto, então tenho que revesar com minha mãe, pois ela também não aguenta ficar 24 horas com ele.
        A laje foi colocada lá em casa, colocaram as pré- fabricadas e veio um caminhão enorme com uma massa de cimento e colocaram em 20 minutos essa massa em cima das peças que colocaram lá.
        Hoje já retiraram os ferros de sustentação pois já fez 20 dias.
        Estou muito ocupada e sem tempo de ver qualquer outra coisa, mas assim que puder vou ver o que falamos aqui.
        Não esqueci não é só falta de tempo.
        Abraços e obrigada.
        Valeu.
        Até mais.
        Denise.

      • Olá Fernando,agradeço pelo esclarecimento, esquci de mencionar que pretendo fazer um 2°andar na construção da minha casa,mas,como vc ja disse, to confiando mesmo que o melhor a fazer é pôr a pre-moldada mesmo.Obrigada pela atenção e com certeza voltarei para tirar masi dúvidas.
        Grande Abraço.
        Valeu!

      • Não tem problemas em ter um segundo andar. Apenas certifique-se da colocação correta dos pilares e vigas.

  15. sandra disse:

    me ajude as vigas da minha casa estão oxidadas e o concreto ta caindo

  16. Polaco disse:

    “Sua receita tem variações mas é basicamente 1 saco de cimento (50kg) 12 baldes de pedra britada e 14 baldes de areia.”
    Tem certeza?
    Nessa laje eu não fico em baixo, em cima e nem passo perto!

  17. Luciene disse:

    Olá fernando,
    o pedreiro colocou a laje pre moldada de isopor ( com vigotas em T), dia 04/04 hoje 6 dias depois ela continua escorada, mas ele está demolindo um pilar que deixou da construção antiga, esse pilar não está ligado mais em nada, só que cada marretada treme tudo rsrs, estou com medo porque será o meu quarto e o das minhas filhas. Isso pode trazer consequencias graves como desabamento?

    • Olá Luciene,

      Então, o tempo para a cura do concreto varia da forma como ele foi feito, do tempo da região entre vários outros fatores. Mas sobre o concreto, uma boa coisa é que quanto mais tempo, melhor ele fica. Então, dias a mais com as escoras só serão benéficos.

      Quanto ao pilar extra, a vibração no resto da estrutura com as marretadas é normal, pois as vibrações provocadas pelas pancadas são transmitidas via solo para todas as estruturas. aqui em casa por exemplo, toda vez que passa um ônibus ou caminhão na rua, minha casa também vibra. Mas derrubar pilares é sempre algo arriscado, você sempre precisa ter certeza que ele não serve para nada. seria recomendado a opinião de um engenheiro.

      • Luciene disse:

        Entendi… hoje é o 13º dia após a concretagem e a laje continua apoiada. Quanto ao pilar ja foi demolido, ele foi criado para sustentar um telhado que não existe mais, sem baldrame, ficou solitário.
        Engenheiro aqui é como ouro, trabalham mais em construções de prédios, quando voce chama algum, ou ele não vem, ou vem e diz que não é necessario um engenheiro por ser uma casa terrea rsrss, então nos sobram os pedreiros que fazem tudo do jeito deles, o daqui queria retirar todas as escoras da laje com 3 dias, só dor de cabeça, queria rebocar as paredes internas mas estava praticamente chovendo dentro, com muita agua da chuva em cima da laje, ele disse que precisava por um tubo para descida da água e passar uma camada de massa como um contrapiso que isso resolveria, fez e agora continua pingando, mais uns 2 dias e ele desiste. Enfim…. Detalhe os terrenos eram bastante alagados, vc faz para durar uns 5 anos no maximo depois precisa reformar , o piso afunda, paredes trincam e por aí vai.
        Mas obrigada pela resposta me deu um pouco de sossego, desejo muito sucesso.

      • De nada Luciene, estamos aí para ajudar.

  18. MELL disse:

    oi fernando tenho uma laje pre fabricada com com 20 metros quadrados e quando o pereiro bateu a lage nao colocou a manha de ferro. gostaria de saber se posso colocar agora no contra piso.pois irei fazer um quarto em cima tem algum problema o que devo fazer .

    • Você colocar a ferragem no contrapiso não adiantará muita coisa. Ela deveria estar junto ao concreto de forma a combinar as propriedades de ambos os materiais. Além disso, colocá-la agora só lhe fará gastar dinheiro e elevar o piso.

      Como 20m² é relativamente pequeno, e você vai colocar um quarto, é provável que sua laje suporte, mas recomendo uma avaliação mais precisa por um técnico de edificações ou engenheiro Civil.

      Espero ter ajudado e boa sorte

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s